Comentar
Publicado por Blog do Corretor

Corretor, cuidado! Não são apenas as Operadoras que estão atentas às fraudes; o consumidor também está

Corretor, cuidado! Não são apenas as Operadoras que estão atentas às fraudes; o consumidor também está


Cada vez mais a imprensa convencional - no que pese suas análises nem sempre justas – vem dando ênfase a esse mercado, que também passa por um processo de depuração. Na página de Economia, de hoje, no portal Uol, a jornalista Carolina Juliano conversou com um corretor “susepado”. A matéria reafirma os esclarecimentos e informações necessárias ao alcance do cliente. Hoje, mais esclarecido e exigente.



 A seguir, reproduzimos alguns trechos que julgamos relevantes.





Com essa queda [Nota do Blog: cancelamento de mais de 1.5 milhão de planos de saúde após a crise econômica no Brasil], tornou-se cada vez mais frequente, principalmente na internet e nas redes sociais, anúncios de planos de saúde mais baratos e até sem carência.



Para Arantes [Nota do Blog: Leonardo Arantes, corretor consultado pelo Uol], é importante que o consumidor veja a procedência da oferta. O corretor que vende o seguro tem que estar habilitado pela Susep (Superintendência de Seguros Privados), que regulamenta a profissão, além de estar ligado a alguma instituição idônea.



"Se receber a oferta por e-mail, o consumidor deve checar se o e-mail é real, se o domínio existe, e confirmar a oferta por contato telefônico, ver se a empresa tem endereço fixo", diz.



O Idec orienta o consumidor a se informar das resoluções estabelecidas pelas ANS por meio de seus canais de atendimento, prestar atenção nas regras oferecidas no contrato e exigir sempre do corretor isso tudo por escrito.



Como se defender se já foi enganado? O Idec alerta que, se o consumidor aderir a algum plano coletivo sem saber que deveria ter vínculo com a empresa, pode entrar com uma ação civil exigindo que a operadora que vendeu o plano faça outro idêntico para ele, com os mesmos benefícios, dentro das normas estabelecidas por lei.



No entanto, o Idec recomenda que o consumidor lesado organize, em primeiro lugar, toda a documentação de contratação do plano, bem como troca de conversas (até as mensagens trocadas por celular), e notifique a ANS. Se o contato se se der pelo celular, é importante pedir sempre que o vendedor envie, por e-mail, confirmação e tudo o que foi tratado.


Leia também

3 comentários
Comentar
Corretor habilitado

Corretor pra atender um cliente devia ser obrigado a apresentar a carteira da Susper que o habilita a comercializar seguros e planos de saúde. Se isso fosse exigido, adeus picaretas...

João Moura de Assis

É galera os clientes tão muito arisco. O negócio é chegar nele com a verdade e a sinceridade, senão... o bicho vai pegar.

Zé Kri Kri

Exigir do corretor as informações por escrito é uma piada pronta do Idec, né não? As próprias operadoras se matam para reunir tantas informações, com aditivos, adendos, contratos, etc, etc, e ainda o corretor tem de colocar tudo o que ele diz no papel? Ridículo.
O que o corretor diz deve estar no contrato e ponto.
Sô Kri Kri, má num sô bobo.

Carregar mais

Deixe seu comentário Você pode optar por ficar anônimo, usar um apelido ou se identificar. Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, caluniosa, bem como conteúdo meramente comercial. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.