fechar
Comentar
Publicado por Blog do Corretor

Investir em previdência privada neste fim de ano garante dedução das contribuições no IR 2020

Investir em previdência privada neste fim de ano garante dedução das contribuições no IR 2020


Incentivo fiscal é exclusivo na modalidade PGBL e permite que participante deduza os aportes em até 12% de sua renda bruta anual



Mais um ano está chegando ao fim e aderir a um plano de previdência privada nesta época é o primeiro passo para garantir um futuro tranquilo. Quem já investe nesta ferramenta pode aproveitar os dois últimos meses de 2019 e destinar o 13º salário, a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e os bônus recebidos no período para realizar aportes extras.



“Investir esse dinheiro extra em previdência privada aumenta a reserva financeira futura e também traz benefícios em curto prazo. Ao realizar os aportes até dezembro, o participante consegue deduzir suas contribuições já na próxima declaração do IR”, explica Fernanda Pasquarelli, diretora de Vida, Previdência e Investimentos da Porto Seguro.



O incentivo fiscal na previdência privada é exclusivo na modalidade PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e permite deduzir as contribuições e aportes feitos ao plano em até 12% da renda bruta anual do participante. Trata-se de um adiamento, pois a cobrança do imposto de renda ocorrerá no final, no recebimento do benefício, ou em caso de resgate. A vantagem é que além de pagar menos ou restituir mais IR enquanto investe, o cliente pode reaplicar o dinheiro e aumentar ainda mais sua reserva futura.



A outra vantagem da previdência privada é poder alcançar uma alíquota de IR de 10% sobre o dinheiro resgatado ou sobre o benefício recebido. Para isso, basta escolher o regime tributável que adota a tabela regressiva de alíquotas do IR na hora de contratar o plano. Nesse regime, indicado para quem vai deixar o dinheiro investido no longo prazo, o percentual do imposto sobre cada contribuição chega a 10% após 10 anos de investimento. 



Já para quem declara no modelo simplificado, a melhor opção é a modalidade VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Embora essa opção não seja dedutível do imposto de renda, a tributação feita no momento do recebimento do benefício será apenas sobre o rendimento ao longo do tempo e não sobre o valor total acumulado, como ocorre na modalidade PGBL. Ainda assim, aproveitar algum dinheiro extra de fim de ano para fazer um aporte é sempre uma boa forma de aplicar seu dinheiro.



Optar por um plano PGBL ou VGBL gera muitas dúvidas e a escolha muda de acordo com o perfil do investidor. Para auxiliá-los nessa decisão, a Porto Seguro disponibiliza, em seu site, informações sobre as duas modalidades e os planos disponíveis na empresa, além de simular o investimento mais adequado para cada perfil de contribuinte através da ferramenta online Construindo o Futuro.


Leia também

1 comentários
Comentar
Anonymous

Que isso, blog, virou bolsomínio? Vê lá em? Se isso for verdade quando tu morrer vai pro inferno.
Os milicianos tão destruindo os direitos do povo, já acabaram com a aposentadoria, com as leis trabalhistas, tão entregando nossas riquesas pros gringos pra entupir os banqueiros de dinheiro. Cuidado!

Carregar mais

Deixe seu comentário Você pode optar por ficar anônimo, usar um apelido ou se identificar. Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, caluniosa, bem como conteúdo meramente comercial. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.