fechar
Comentar
Publicado por Emmanuel Ramos de Castro

Os "novos pobres" vistos por elles




O plano cobre


. por, Silvia Pilz



.Todo pobre tem problema de pressão. Seja real ou imaginário. É uma coisa impressionante. E todos têm fascinação por aferir [verificar] a pressão constantemente. Pobre desmaia em velório, tem queda ou pico de pressão. Em churrascos, não. Atualmente, com as facilidades que os planos de saúde oferecem, fazer exames tornou-se um programa sofisticado. Hemograma completo, chapa do pulmão, ressonância magnética e etc. Acontece que o pobre - normalmente - alega que se não tomar café da manhã tem queda de pressão.



Como o hemograma completo exige jejum de 8 ou 12 horas, o pobre, sempre bem arrumado, chega bem cedo no laboratório, pega sua senha, já suando de emoção [uma mistura de medo e prazer, como se estivesse entrando pela primeira vez em um avião] e fica obcecado pelo lanchinho que o laboratório oferece gratuitamente depois da coleta. Deve ser o ambiente. Piso brilhante de porcelanato, ar condicionado, TV ligada na Globo, pessoas uniformizadas. O pobre provavelmente se sente em um cenário de novela.



Normalmente, se arruma para ir a consultas médicas e aos laboratórios. É comum ver crianças e bebês com laçarotes enormes na cabeça e tênis da GAP sentados no colo de suas mães de cabelos lisos [porque atualmente, no Brasil, não existem mais pessoas de cabelos cacheados] e barriga marcada na camiseta agarrada. O pobre quer ter uma doença. Problema na tireoide, por exemplo, está na moda. É quase chique. Outro dia assisti um programa da Globo, chamado Bem-Estar. Interessantíssimo. Parece um programa infantil. A apresentadora cola coisas em um painel, separando o que faz bem e o que faz mal dependendo do caso que esteja sendo discutido. O caso normalmente é a dúvida de algum pobre. Coisas do tipo "tenho cisto no ovário e quero saber se posso engravidar". Porque a grande preocupação do pobre é procriar. O programa é educativo, chega a ser divertido.


Voltando ao exame de sangue, vale lembrar que todo pobre fica tonto depois de tirar o sangue. Evita trabalhar naquele dia. Faz drama, fica de cama.



Eu acho que o sonho de muitos pobres é ter nódulos. O avanço da medicina - que me amedronta a cada dia porque eu não quero viver 120 anos - conquistou o coração dos financeiramente prejudicados. É uma espécie de glamourização da doença. Faz o exame, espera o resultado, reza para que o nódulo não seja cancerígeno. Conta para a família inteira, mostra a cicatriz da cirurgia.



Acho que não conheço nenhuma empregada doméstica que esteja sempre com atacada da ciática [leia-se nervo ciático inflamado]. Ah! Eles também têm colesterol [leia-se colesterol alto] e alegam "estar com o sistema nervoso" quando o médico se atreve a dizer que o problema pode ser emocional.



O que me fascina é que o interesse deles é o diagnóstico.



O tratamento é secundário, apesar deles também apresentarem certo fascínio pelos genéricos.



Mesmo "com colesterol" continuam comendo pastel de camarão com catupiry [não existe um pobre na face da terra que não seja fascinado por camarão] e, no final de semana, todo mundo enche a cara no churrasco ao som de "deixar a vida me levar, vida leva eu" debaixo de um calor de 48 graus.



Pressão: 12 por 8



Como são felizes. Babo de inveja.



COMENTÁRIO DO BLOG

O texto da jornalista Silvia Pilz teve péssima repercussão junto à sociedade civil organizada e assim ela perdeu o seu espaço no jornal O Globo onde maninha um blog. "O post 'O plano cobre', em que satirizo o deslumbramento e o comportamento do pobre ? nova classe média ? diante das oportunidades oferecidas pelos planos de saúde, desencadeou uma onda de reprovação inesperada. A situação tornou-se tragicômica e insustentável para a imagem do jornal O Globo", diz Silvia Pilz, ao explicar o fechamento do seu blog. Perplexa, a jornalista de O Globo afirma que" ... foi uma onda de reprovação inesperada". Só pode ser petralha, essa moça(!)


Leia também

10 comentários
Comentar
Aluísio Couto

Enganou-se ao achar que tinha senso de humor.

Eu nunca li tanta descriminação num texto só.

João Vermelho

Não vi nada demais. Sinceramente.

THE Judge

O texto é da própria "Silvia Pilz", que agora deve ser removido do blog com certeza...

Globeleza

Sincoplan de novo nãooooooooooooooooo!!!!!

CUT

LÁ VEM ESSE SINCOPLAN DE NOVO COM ESSAS COBRANÇAS
DE ANUIDADE SINDICAL. JÁ NÃO CHEGAM OS IMPOSTOS QUE
TEMOS QUE PAGAR ??

E AGORA... QUEM PODERÁ NOS DEFENDER, JÁ QUE O CHAPOLIM COLORADO MORREU !!

PETISTA

Acho que a jornalista foi punida indevidamente, pois o que ela falou é a mais
pura verdade, pois eu também já fui pobre e era exatamente desse jeito.
Adorava fazer o meu Surrasco regado a Celveja.

Infelizmente no Brasil e nesse Blog não se pode falar a verdade, tem que ser tudo vaquinha de presépio.

Ao THE Judge

parabéns, o comentário mais inteligente do Blog.

THE Judge

A natureza não julga. Mata ?inocentes? e ?culpados?. Faz o que bem entende pra mandar o recado que ninguém quer entender. Os parâmetros de certo e errado que nós estabelecemos são falhos. Não existe força maior, não existe ?nada acontece por acaso?, não existe sina e nem benção. Fico revoltada quando alguém diz: ?Fulano não merecia ter um filho autista?.
Quem merece? Quais são os critérios? Que gente é essa que julga o que um ou outro merece? Esse Deus punitivo o homem criou para esconder de si mesmo sua insignificância. A única mensagem que ele me passa é a seguinte: Não existe razão ou controle. Não existe justiça. A natureza é mesmo sábia e deixa seus recados de forma aleatória. Crianças inocentes morrem junto com criminosos em grandes desastres da natureza. Não existem inocentes ou culpados.
O grande desafio ? palavra que eu detesto ? é lidar com o que até ontem parecia impossível ou inconcebível. O controle. É viver tendo a certeza de que nada ? absolutamente nada ? depende do que nós achamos que sabemos!
Enquanto eu continuar passando [de carro] por um cara deformado, sem braços e pernas, montado num skate, pedindo dinheiro para sobreviver e, essa cena não mudar em absolutamente nada o meu estado de espírito, não há Deus ou homem que me convença que cada um de nós tem o que merece ou que ?aqui se faz e aqui se paga?.
Talvez isso traga certo conforto para os loucos. Porque para o lúcido, o conforto é zero.

Corretora

Matéria que não acrescenta em nada!
Desnecessária...

Dirce Nunes

que lixo
nem deveria ser replicado aqui
isso me lembra post´s como publicações marginalizadas e sem procedência que já ví por aqui.

Deve ser obra do Kri Kri, Caixeiro Viajante e outros pessimistas, incrédulos e tucanescos que habitam nosso mundo.
Tenho vergonha de saber que uma pessoa desse tipo se intitula jornalista.
Tenho dó em pensar que vários do mercado compactuam com essa filosofia malufista.

Carregar mais

Deixe seu comentário Você pode optar por ficar anônimo, usar um apelido ou se identificar. Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, caluniosa, bem como conteúdo meramente comercial. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.