Frase do Dia
Eu fico com a pureza das respostas das crianças!

Gonzaguinha, na música “O que é, o que é?

SUS terá novo tratamento para tumor raro

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Rola na Mídia

3.set.2014

O Ministério da Saúde acaba de incluir na tabela SUS um novo procedimento de quimioterapia para o Tumor Estromal Gastrointestinal (GIST) para pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS). A partir de agora, a rede passa a contar com o uso do medicamento Mesilato de Imatinibe também para quimioterapia adjuvante da doença, ou seja, um tratamento auxiliar recomendado para pacientes com risco de retorno da doença após retirada cirúrgica do tumor. Antes desta recomendação, o medicamento já era usado no SUS para tratamento de outros cânceres, como Leucemia Mielóide Crônica e Leucemia Linfoblástica Aguda, e também para quimioterapia paliativa do próprio GIST.

A estimativa é de que a medida beneficie cerca de 500 pacientes ao ano e gere impacto financeiro da ordem de R$ 5,8 milhões. O objetivo da incorporação do uso do medicamento na quimioterapia após a cirurgia é reduzir o risco de recaída e, assim, aumentar a sobrevida do paciente. O GIST é um tipo raro de câncer que atinge principalmente o trato digestivo.

No mês de julho deste ano, o Ministério da Saúde publicou uma portaria de atualização do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do GIST. Nesta atualização, foi mantido o uso do Mesilato de Imatinibe para a finalidade paliativa e definidos os critérios também para o uso adjuvante do medicamento. Mas ainda faltava incluí-lo na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais do SUS.

Com a inclusão do procedimento na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses/Próteses e Materiais Especiais, os serviços podem registrar e faturar o procedimento ofertado e receber pelos atendimentos realizados, sendo o medicamento adquirido pelo Ministério da Saúde e fornecido pelas secretarias estaduais de saúde aos hospitais credenciados no SUS e habilitados em oncologia. A incorporação foi decidida pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologia (CONITEC), que estabelece garantias à proteção do cidadão quanto à segurança e eficácia de novas tecnologias incorporadas ao SUS, por meio da comprovação da evidência clínica consolidada e os estudos de custo-efetividade.

GIST – O Tumor Estromal Gastrointestinal é uma neoplasia rara. A doença ocorre em ambos os sexos e em qualquer faixa etária, entretanto, é mais comum em pessoas acima dos 40 anos de idade, com média de idade ao diagnóstico de 58 a 63 anos. Esses tumores correspondem a aproximadamente 1% das neoplasias primárias do trato digestivo, e estima-se que a incidência seja de 7 a 20 casos por milhão de habitantes.

Os sintomas da doença são tumor, sangramento, perfuração e obstrução. Cerca de 20% dos casos são assintomáticos, sendo os tumores encontrados durante endoscopias, exames de imagem do abdômen ou procedimentos cirúrgicos, como gastrectomias.

INCORPORAÇÃO – A inclusão de qualquer medicamento no SUS obedece às regras da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec), que exige comprovação da eficácia, custo-efetividade e segurança do produto por meio de evidência clínica consolidada e assim garante a proteção do cidadão que fará uso do medicamento. Após a incorporação, o medicamento ou tecnologia pode levar até 180 dias para estar disponível ao paciente.

Fonte: Saúde Business

O desafio de continuar vencendo

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Matéria

2.set.2014

Evaldo Antônio Francisco e Rosa Antunes – Viacorp

.
Ontem, em conversa com uma das nossas fontes, fomos informados a respeito de alguns acontecimentos no mercado: compras, vendas, reestruturações, enfim.

“Muita coisa está para acontecer  e o ‘centro’ [como é chamado o mercado de planos de saúde no centro de São Paulo] mudará muito nos próximos meses”, garantiu o meu interlocutor.

O verbo, usado aqui no futuro do presente (mudará), deveria ter sido conjugado no gerúndio, pois o centro, na verdade, já está mudando.

E que assim continue; mudando sempre e para melhor.

Como aconteceu recentemente com a decisão da Viacorp de ali abrir uma unidade, por entender que o velho centro é mesmo o núcleo desta roda que gira e movimenta o mercado de planos de saúde como em nenhum outro lugar.

Depois de contratar Antônio Lopes para gerência do corporativo e Edson Ferraz para a gerência comercial do recém inaugurado salão na Sete de Abril, a Viacorp contratou também Evaldo Antônio Francisco.

Evaldo, que já passou pela Divicon e recentemente pela Docx Corretora, quando viveu uma adversidade há aproximadamente cinco meses, já mantinha um relacionamento comercial estreito com a diretoria da Viacorp.

De olho na expertise do carismático profissional, a diretoria da Viacorp não perdeu tempo e integrou Evaldo à equipe de líderes da Viacopr.

Agora, à frente da gerência comercial  da matriz, na Vila Mariana, Evaldo revela-se otimista e ainda mais preparado para uma saudável competição de mercado.

Ressarcimento de operadoras à ANS supera R$ 184 mi

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Rola na Mídia

1.set.2014

por, Vinícius Lisboa
.
O ressarcimento que operadoras de planos de saúde pagaram à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) porque os clientes recorreram a internações no Sistema Único de Saúde (SUS) bateu recorde de janeiro a julho deste ano e superou o montante de todo o ano de 2013, que já era maior que o dos anos de 2011 e 2012 juntos. Foram R$ 184,03 milhões por quase 200 mil internações de pessoas com plano de saúde na rede pública, contra 183,26 milhões por 221 mil internações cobradas no ano passado.

Os números, no entanto, não se referem às internações feitas no ano de 2014, e sim ao que foi pago neste ano por procedimentos de anos anteriores. A ANS vem atualizando os cruzamentos de dados que permitem a cobrança, e, só neste ano, conseguiu incluir ressarcimentos de internações realizadas no ano imediatamente anterior.

Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, essas mudanças são a razão do aumento na arrecadação, que neste ano deve superar os custos com a agência, hoje em torno de R$ 255 milhões. “Temos um estoque de internações de anos anteriores em que agora se conseguiu obter êxito no ressarcimento, o que significa que melhorou muito a gestão da ANS no cumprimento do seu papel”, disse Chioro.

Ele explicou que, antes, esses recursos não voltavam porque não se conseguia organizar o ressarcimento de maneira adequada, ágil e eficiente, e isso acabava acarretando prejuízo. “Até porque os beneficiários dos planos pagaram às operadoras por esses serviços.”

O dinheiro arrecadado é depositado no Fundo Nacional de Saúde, que compõe o orçamento do ministério. Segundo o governo, com o montante é possível comprar 600 ambulâncias com unidades de terapia intensiva para o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), construir 60 unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) ou 350 unidades básicas de Saúde. Chioro disse que, ao integrar o fundo, o recurso será usado em políticas prioritárias, como a atenção básica, investimento em melhorias no sistema de saúde e financiamento de santas casas.

Entre 2000 e 2010, a ANS conseguiu arrecadar das operadoras cerca de R$ 123,5 milhões para ressarcir 350 mil internações de beneficiários no SUS. De 2010 para 2011, a arrecadação subiu de R$ 15,5 milhões para R$ 83,07 milhões, com medidas como a contratação de 89 funcionários temporários e 77 terceirizados, aumentando em 10% a mão de obra da ANS.

A previsão do governo é que os ressarcimentos pagos neste ano passem de R$ 350 milhões. As operadoras que não devolvem o valor das internações ao SUS são incluídas na lista de dívida ativa e passam a integrar o cadastro de inadimplentes, perdendo o acesso a financiamentos com recursos públicos. Encontram-se nessa situação 462 operadoras, e o valor atualizado da dívida soma R$ 579,24 milhões.

Entre os próximos passos da ANS estão a cobrança de ressarcimento pelos procedimentos de alta complexidade realizados no SUS por beneficiários de plano de saúde, como exames de tomografia e ressonância magnética. Segundo a nova diretora de desenvolvimento setorial da agência, Martha Regina de Oliveira, a cobrança deve começar a ser feita em breve. As dificuldades para cobrança de valores de exames e de consultas sem internação estão também na dimensão do universo de procedimentos a serem analisados, já que todas as internações feitas no SUS em um ano somam 11,2 milhões, enquanto as consultas chegam a 1,5 bilhão e os exames, a 2 bilhões.

Mercado de Trabalho

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Prestação de Serviços

1.set.2014

Após oito anos na função de supervisor comercial, atuando no canal interno numa das mais importantes administradoras de planos coletivos por adesão, responsável pela abertura de filiais em outros Estados,  Fabiano Leme Fonseca disponibiliza AQUI o seu currículo.

Programa Segura Brasil recebe advogados

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Sem categoria

29.ago.2014

1º bloco
…………
Caso não consiga visualizar através do seu smartphone, veja diretamente no TV Uol

.
2º bloco
…………
Caso não consiga visualizar através do seu smartphone, veja diretamente no TV Uol

Os planos de saúde e os clientes inadimplentes

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Artigo

29.ago.2014

por, Paulo Victor Barchi Losinskas

.
Inscrição do nome do contratante de planos de saúde nos cadastros de proteção ao crédito em razão de inadimplência

O assunto continua em pauta e merece esclarecimentos.

É comum acompanharmos, seja aqui no Blog do Corretor ou em outras páginas com espaço aberto para apresentação de dúvidas, comentários ou questionamentos sobre a (im)possibilidade de inclusão do nome do consumidor contatante de planos de saúde por inadimplência.

A resposta para esse questionamento é direta: Não há qualquer impedimento ou vedação legal para isso! O que quer dizer que, se o responsável pelo pagamento do valor mensal do plano não cumprir com sua obrigação, poderá ter seu nome negativado junto aos órgãos de proteção ao crédito, cujo representante mais famoso provavelmente é o Serasa Experian.

A relação entre os contratantes de planos de saúde e as operadoras é regida pelo Código de Defesa do Consumidor, em que pese a existência da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), dentre várias outras atribuições, também possui atribuições normativas sobre alguns aspectos dessa relação.

Dessa forma, a lei específica a tratar do tema é o próprio Código de Defesa do Consumidor, que no artigo 43 e seguintes trata propriamente dos bancos de dados e cadastros de consumidores de crédito.

Portanto, ao contrário do que se possa pensar, além de não existir norma legal contrária à inclusão do consumidor inadimplente com a operadora do plano de saúde junto aos órgãos de proteção ao crédito, há mandamento legal autorizador dessa providência, desde que respeitadas certas formalidades, como a comunicação prévia ao consumidor da existência da dívida e da intenção de inscrever seu nome junto aos órgãos existentes, caso não seja quitado o saldo devedor ou ao menos ajustado um acordo para pagamento.

Ultrapassada essa barreira quanto a possibilidade da inclusão do nome do consumidor inadimplente, resta necessário esclarecer algo que nos tem parecido como um grande causador de confusão por parte do consumidor: o cancelamento automático do contrato de adesão ao plano de saúde em caso de falta de pagamento pelo prazo de 60 dias.

É comum, e encontramos com bastante frequência, pessoas que não têm a intenção de permanecer com o plano de saúde e lêem a cláusula do contrato que indica o encerramento do termo no caso de não pagamento pelo período de 60 dias, compreendendo que basta deixar de pagar e não usar o plano por esse lapso de tempo que estará livre da obrigação.

Essa noção é falsa!

Juridicamente e, também pela lógica, enquanto o contrato não é encerrado ou cancelado, ele continua produzindo seus efeitos reguladores, ou seja, pelo período de 60 dias que o consumidor deixou de pagar o contrato continuou vigente, sendo que a operadora deixou à disposição do contratante todos os serviços contratados e, portanto, obrigando-o a pagar pelos meses que teve o serviço à disposição.

Assim, mesmo que o contrato tenha sido encerrado automaticamente após os 60 dias, permanece a dívida relativa a esse período, razão pela qual o consumidor poderá ter seu nome enviado aos cadastros de devedores, ainda que não tenha utilizado os serviços postos à sua disposição.

É essa a posição que nossos tribunais têm adotado ao julgarem casos sobre o tema.

Lembre-se que a lógica que envolve a contratação de um plano de saúde independe de sua efetiva utilização durante o mês para a reação de cobrança. Pouco importa se o consumidor utilizou ou não o plano durante o mês, ele estará obrigado a pagar a mensalidade até que cancele efetivamente o contrato, sendo que esse cancelamento pode ser feito de diversas formas a depender da operadora contratada, mas sempre deve ser feito por escrito até para a segurança do próprio consumidor.

Portanto, ao contratar ou cancelar um plano de saúde, esteja atento a todas as cláusulas e formalidades existentes e que envolvem a relação contratual para evitar aborrecimentos futuros.

_____________________________________________________________________________
Paulo Victor Barchi Losinskas é advogado, graduado pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, mestrando em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, membro do Instituto dos Advogados de São Paulo. Ex-Assessor Jurídico da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, é também professor em São Paulo, sócio-fundador do escritório Losinskas, Barchi Muniz Advogados Associados e um dos articulistas que escrevem no Blog do Corretor, sempre às sextas-feiras. www.lbmadvogados.com.br/

O público da Public

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Entrevistas

28.ago.2014


Nesta última terça-feira (26), conforme noticiamos aqui, atendemos a um convite de Eliete Brito para uma reunião com Leandro, um dos sócios da Public Broker do Brasil, Corretora que vem se destacando no mercado, pela eficiência e pelo crescimento em produção.

A reunião foi profícua e se estendeu com Eliete Brito num bate papo descontraído que acabou convergindo para uma entrevista.

.
Blog do Corretor:
Foi virada mais uma página da sua história profissional?

Eliete Brito:

Graças a Deus, formalizei a minha saída através do Facebook, né? E você, no Blog do Corretor… no dia que saiu a matéria no Blog do Corretor, à noite, já comecei a receber ligações, pessoas me procurando, Corretoras. Corretoras grandes, Corretoras pequenas, empresários que desejam montar Corretoras… e, assim, eu não desprezei ninguém, Manu. Foram 20 dias, eu fiquei dois dias na minha casa. De segunda a sexta-feira, salvos esses dois dias, eu fui em entrevistas. Com muita humildade, com muita sabedoria eu ouvi, tá? E, de todas, a última, que… realmente bateu o martelo numa proposta comercial, foi a Public. Eu conversei duas vezes com a Public. E foi de encontro (sic) com tudo aquilo que eu esperava pra mim: Eliete (sic). Dentro do meu crescimento profissional, dentro do que eu desenhei pra minha vida. Então, a Public, ela quer (sic) e ela vai se tornar uma referência na venda de Seguradoras. Ela, desde a sua fundação, há cinco anos atrás (sic), ela sempre foi uma Corretora multimarcas com foco no freelancer e no repasse. Só que nós sabemos que quando uma empresa trabalha com esse tipo de corretor, a margem é menor, né? Então, ela tem de ter um volume de vendas gigante, pra poder crescer.  Então, o que a Public resolveu fazer e eu achei muito assertivo? Investir pesadamente em todos os produtos que conseguem gerar uma margem maior pra Corretora. Inclusive uma remuneração vitalícia. E nessa empreitada as Corretoras tentam liderar o ranking. Principalmente a Sul América. De todas. Então, eu quero me tornar, continuar, sendo uma referência. Junto com a Public. Pensei numa marca de sabão em pó. Qual é? (Pergunta Eliete ao entrevistador que de pronto respondeu).

Blog do Corretor:
Omo.

Eliete Brito:
Omo. Pensei numa esponja de aço, qual é? Pensei em seguradora, qual é a Corretora?

Blog do Corretor:
Você quer que seja Public?

Eliete Brito:
Vai ser(!) Tenho fé. E pra isso, né? Estão sendo feitos uma séria de esforços (sic). Então, nós reformamos (Eliete se refere ao canteiro de obras em que se transformou os andares que ocupam a Public), está tendo, foi feito todo um adesivamento lá que você chegou a ver, Bradesco, Sul América, Qualicorp também que é um parceiro importantíssimo, não posso deixar de falar, estamos reformando o 3º andar, que a tente te mostramos (sic), vamos reformar também o 7º andar e ampliando o quadro administrativo e comercial, com a minha chegada e de outras pessoas que virão, e com isso nós queremos prestar o melhor atendimento  ao corretor. Vamos investir também no corretor susepado, que é um corretor que tem uma expertise pra vender outros ramos, mas quando ele se depara com o saúde, ele tem uma certa dificuldade, estamos criando também um canal interno, que já existe aqui na Public, mas está sendo reformulado, que é aquele projeto do 3º andar, que você viu a reforma, que é pra corretores vips, né? Corretores com uma produção diferenciada…

Blog do Corretor:
A propósito deste 3º andar, que visitamos há pouco na presença inclusive do Fernande Félix (Sim, o Félix da Amil também visitara a Public na ocasião), aquele é o projeto Personalitê ao qual você se referiu enquanto conversávamos lá fora?

Eliete Brito:
Sim. Este mesmo.

Blog do Corretor:

Então será uma equipe somente de feras?

Eliete Brito:
Só de feras.

Blog do Corretor:

E quem vai supervisionar:

Eliete Brito:
Quem vai supervisionar é a Jesuíta, que já é um nome famoso no mercado e o corretor que trabalhar nesse projeto Personalitê, ele vai ter uma série de vantagens, uma meta a cumpir…

Blog do Corretor:
E como vai ser a situação dele perante essa questão trabalhista? Ele será CLT ou CNPJ?

Eliete Brito:
Então, eles ainda estão desenhando o escopo desse projeto. Mas nós estamos pensando em alguma coisa desse corretor ser PJ. Que é uma tendência, né? É uma tendência. E o que é legal: eu estou no meu segundo dia de empresa. Mas eu vou ajudar a desenhar esse projeto.  Porque um projeto desse não é feito só de móveis, não. Depois dos móveis vêm as pessoas e a proposta, convencer as pessoas a participar. O que eu achei legal é que cada corretor terá uma verba estipulada para investimento. E ele é quem vai decidir o que fazer com esse investimento. Ah, [diz simulando um diálogo] olha Eliete, Jesuíta, né?  que é supervisora junto comigo. [Continua] Eu sou gerente comercial da empresa. Olha, Eliete, eu gosto, tenho site e gosto de investir no Google. Então, eu não quero indicação, não quero plantão… eu quero Google. Eu prefiro ser ajudado com um telemarketing. Eu prefiro que vocês comprem indicações… Então… por isso que nós chamamos de Personalitê, cada corretor uma necessidade. E para fortalecer ainda mais essa união, dia 1º de setembro Gisele Campos, que a gente chama carinhosamente de Chaveirinho da Sul América, começará aqui com a gente.

Luciana Ramos (coordenadora), Vanessa Melo, e Aline Raniere (PME/PJ) e Eliete Brito (gerente comercial)

.
Blog do Corretor:
Você falou aí no fortalecimento do PJ e do PME, e por isso a empresa está se reestruturando…

Eliete Brito:
Que eles chamam aqui de canal massificado.

Blog do Corretor:
Mas o adesão é muito forte no mercado porque é a alternativa ao PF, que se resumiu a pouquíssimas operadoras. Qual é a novidade para o adesão?

Eliete Brito:
Então, o adesão, ele vem casado, né? A Qualicorp, ela vem casada com a venda do PME (sic). Do Sul América. Por quê? Capacitando, formando, ajudando, incrementando a venda da marca Sul América, ela traz o adesão também porque nem todo mundo tem CNPJ. E quem não tem um CNPJ e quer fazer um produto Seguradora vai fazer o quê?

Blog do Corretor:
Adesão.

Eliete Brito:
Adesão. Então é uma coisa que vem casada. A venda dos produtos Qualicorp aqui é expressiva, nós temos metas a cumprir, e o que nós queremos fazer assim de pronto com relação à Qualicorp?  Investir mesmo na capacitação dos nosso back offices, que são as pessoas que dão atendimento aos nossos corretores, pra a informação chegar de maneira rápida e correta pra o corretor, pra evitar devoluções, prolongamentos de vigências, entendeu? Então, eu acho que esse é o caminho. Porque o corretor, tanto o free quanto o repasse, não têm muito tempo, né? Então, nós temos que capacitar pra que essa venda venha cada vez mais redonda pra gente conseguir melhorar esses números. Porque hoje o que eu vejo com relação à Qualicorp? Não é só vender(!) Tem de implantar.

Blog do Corretor:
Mas quando você diz “não é só vender, tem de implantar”, você está querendo dizer que há algum problema na fase de implantação?

Eliete Brito:
Então, é… é…  não é por parte da Qualicorp. Você sabe que o produto adesão tem a sua famosa elegibilidade. Então, isso está ligado à documentações.  Nós precisamos cada vez mais acertar esse fluxo de documentação pra que tudo que seja vendido, seja implantado o mais rápido possível.

Blog do Corretor:
Hoje é o seu segundo dia na Public. A sua chegada aqui, como foi? Correspondeu às suas expectativas?

Eliete Brito:
Nossa, muito trabalho, sabe? A Public é uma máquina de venda. O movimento de corretores é uma coisa absurda.

Blog do Corretor:
Você percebeu alguma diferença aqui, em relação ao padrão seguido pelas demais Corretoras? Eu faço esta pergunta em função dos comentários que ouço por aí.

Eliete Brito:

Que comentários?

Blog do Corretor:
O de que a Públic, por ter sido fundada por profissionais que vêm de outra área, tem um charme que a diferencia. É isso?

Eliete Brito:

É um outro jeito. Hoje é o meu segundo dia, como já lhe disse. Eu posso responder isso pra você, com mais convicção, daqui há um mês. Mas o que eu percebi é que é uma empresa alegre, dinâmica, rápida… o corretor chega aqui, entrega produção, já passa no almoxarifado, pega mais proposta, toma um café, olha o e-mail, sai… Às vezes eu vejo o mesmo corretor aqui duas, três vezes por dia, entregando produção. O pessoal do apoio é bem jovens, isso dá uma certa alegria pra empresa, os donos, os diretores, que são quatro, dois ficam aqui na empresa, Leandro e Eduardo, eles têm uma outra visão do mercado. Eles são muito mais ligados à área de marketing, ao corporativo de uma forma geral e isso faz com que eles sejam muito rápidos. Então, não tem assim: Ah, vamos ver, vamos falar, depois… Você viu que o Leandro sentou aqui falou: Olha, eu tenho uma pessoa para atender (Nota do Blog: Leandro ia atender João Drumond – Qualicorp e por isso teve uma breve participação na reunião), mas eu tenho uma coisa pra te falar: Eu quero anunciar no teu Blog, eu quero investir no teu Blog, quero te ajudar… Você não precisou oferecer. Ele se antecipou, veio, em dois minutos delegou a mim a função de negociar com você um espaço para a Public no Blog, então eu acho que realmente é isso que faz a Public acontecer. Aqui é jogo rápido. Não tem talvez, eu vou ver, vou pensar… não.

Blog do Corretor:
Não entre nesse detalhe, se não quiser, mas eu não poderia deixar de tocar nesse assunto: Você declinou de alguns convites e o mais comentado no Blog foi o da Qualitek. Você já postou um comentário expondo a sua opinião, mas eu gostaria de que você aproveitasse este momento para se posicionar de uma forma definitiva.

Eliete Brito:
Eu acho que é uma coisa que diz respeito a mim e às pessoas com quem eu conversei. Tanto é que situação da Qualitek veio a público, mas jamais iria a público pela minha boca. Porque isso diz respeito a mim. Não é de domínio público. Então, vazou. Tudo bem. Muito do que foi comentado, não é verdade. É a forma com que as pessoas querem se expressar (sic). Eu achei os comentários até um tanto quanto maldosos. Não com relação a mim. Porque eu não ligo. Mas com relação até a própria Qualitek. Eu acho que as pessoas deveriam pensar mais no que escrevem e no que falam. Eu acho que quando você entra no Blog do Corretor e faz um comentário, você tem que ser homem ou mulher para assumir o que você fala. Então, todas as pessoas que querem destilar o seu veneno de alguma forma, é a Carochinha, é a Mariazinha é a Aninha, né? Agora, quem realmente se posiciona e não tem medo de correr risco, dá o seu nome.  Então, eu acho que essa situação da Qualitek ficou muito chato porque expôs a Qualitek, me expôs, e eu acho que não precisava dessa forma. O motivo real do meu declínio ao convite da Qualitek… a Qualitek é uma excelente empresa. Uma Corretora que está aí há cinco ou seis anos de mercado, que paga suas comissões em dia, que honra seus compromissos, tem muito dinheiro pra investir… mas eu tenho o meu foco, tenho o meu gráfico de crescimento e todos as propostas que eu recebi, a que ia mais de encontro com (sic) o que eu espero pra mim, que é me tornar cada vez mais uma referência nas Seguradoras, de todas que eu fui, eu achei que foi a Public que ofereceu essa oportunidade, que tinha mais o meu jeito, a minha cara…

Bruno Vieira  (TI) e Jarbas Portela (almoxarifado)

.

Blog do Corretor:
Em resumo: Foi apenas uma escolha?

Eliete Brito:
Isso(!) Que não diz respeito a ninguém, só a mim.

Blog do Corretor:

Virada esta página da sua vida profissional, eu queria saber como é a sua sensação quando sai de casa pela manhã e não seguir para a Casa do Corretor onde você esteve por 10 anos. Você já incorporou essa mudança ou ainda sente um certo saudosismo. Porque isso é natural em qualquer ser humano, não é?

Eliete Brito:
Não menino, você sabe que… Deus foi maravilhoso comigo, sabe? Porque eu não tive tempo. Eu me desliguei e no mesmo dia o telefone já começou a tocar, eu comecei a conversar com as pessoas… os horizontes foram se abrindo, eu não tenho nenhum sentimento, eu zerei. Eu estou pronta para exercer a minha profissão em outro lugar. E… é muito interessante, agora que eu estou iniciando uma nova etapa aqui na Public, mas poderia ser na Qualitek, ou em outra Corretora, agora é que eu estou tendo noção da minha real bagagem. Isto porque eu saí de uma zona de conforto e estou encarando uma nova situação. Um recomeço. Mas, assim, pra tudo que está me acontecendo eu estou encontrando saídas, eu estou colocando em prática o meu discernimento pra lidar com as coisas… Na Public a proposta foi para assumir uma gerência comercial. Então, primeiro: era um cargo novo que a empresa nunca teve, uma necessidade da empresa pra desafogar os sócios; segundo: poder voltar a lidar com os outros produtos, com as outras operadoras, ter a Qualicorp próximo, a Intermédica, a Amil, a Unimed Paulistana e todas as outras e o desafio do novo. Sabe aquele casamento perfeito igual a goiabada com queijo? Então, foi isso. Da Casa do Corretor eu quero guardar as boas lembranças. Das festas, das metas, das viagens, dos amigos e seguir em frente.

Luciana Ramos (coordenadora), Thaynara Gomes (beckoffice), Vanessa Melo (PME/PJ), Odoaldo Ribeiro (beckoffice), Eliete Brito (gerente comerical), Jessika Dumont (beckoffice), Patrícia Rodrigues (beckoffice), Glayce Muller (cadastro), Denis Dumont (beckoffice), Cláudio Lass (beckoffice), Aline Ranieri (PME/PJ), Camila Costa (assistente) e Jurandir C. Júnior (controladoria)
.

Blog do Corretor:
E com relação aos produtos PF, você tem alguma parceria com a Unimed Paulistana, uma das poucas que comercializam este produto?
A Public vende muito bem Unimed Paulistana. Eles saíram de uma situação de 300 vidas para algo em torno de 750 vidas, se eu não estiver enganada, por conta de campanha. A Unimed Paulistana é uma parceira muito forte, mesmo porque hoje é o melhor produto PF que a gente tem no mercado. Então, a Public é uma Corretora multimarcas e não só a Unimed, mas a Trasmontano, a Intermédica, NotreDame, que está chegando com tudo, são parceiros importantes. E no portfólio do Pessoa Física a Unimed é… é um ícone, né?
Só que, como eu só estou aqui há 48h, eu ainda não conversei com ninguém da Unimed Paulistana. Mas ainda vou conversar nos próximos dias.

Blog do Corretor:
Para encerrar, eu gostaria que você me levasse para a sessão de fotos (risos).

Eliete Brito:
Claro! Por favor. Com o meu time. Administrativo, comercial… tem a Luciana, que é uma coordenadora da área administrativa, que é antiga, uma funcionária fundadora da Public, tem o Jurandir, que é da controladoria, responsável pelo financeiro… Essa entrevista é escrita não é?

Blog do Corretor:
Sim. Nunca mais eu havia feito entrevista escrita porque dá muito trabalho transcrever. Ultimamente, tenho feito no Programa Segura Brasil porque é bem mais prático.

Eliete Brito:
Faz isso por mim. Não estou preparada para uma [entrevista] gravada, ainda (risos). Mas eu quero ver o banner da Public piscando lá no Blog.

Blog do Corretor:
O ano de 2013 foi muito difícil para o mercado de planos de saúde. Este ano a gente percebe uma atmosfera de renovação, ajustes, teve recentemente a aprovação do Simples Nacional, uma valiosa conquista para o mercado… eu gostaria que você encerrasse mandando um recado para o mercado, em especial, para o corretor.

Eliete Brito:
Primeiro eu quero agradecer a todas as pessoas que me apoiaram nessa transição e até aos que criticaram porque a gente cresce com a crítica. As corretores do mercado eu quero dizer que até a minha saída, a minha transição de uma empresa pra outra, me mostrou que o mercado está aquecido, sim. Tem muitas Corretoras que estão querendo crescer, inovar, buscar outros caminhos… e os corretores que de alguma forma prestam serviços a essas Corretoras com suas vendas, que acreditem que a cada dia que passa o mercado está melhor, está se profissionalizando, está crescendo e eu tenho certeza que o ano de 2015 (sic) vai ser um ano muito próspero pra aquele corretor que se especializar, que criar um foco de trabalho, seja no PME, seja no adesão, seja no empresarial, mas que de uma maneira muito madura busque cada vez mais o conhecimento e um parceiro, uma Corretora de confiança, que pode ser a Public ou não.

Blog do Corretor:

No início da nossa conversa você recorreu a uma marca de sabão em pó para fazer um tipo de analogia. Agora eu vou usar o mesmo recurso e vou ser cruel.

Eliete Brito:
[Risos] Ah, não. Não seja.

Blog do Corretor:
Peço agora para que você fale um nome qualquer que esteja relacionado ao mercado de planos de saúde. Qual é o primeiro nome que lhe vem à cabeça?

Eliete Brito:

Agora?

Blog do Corretor:

Sim.

Eliete Brito:

Public Broker.

Blog do Corretor:

Muito obrigado pela entrevista e sucesso na sua nova casa.

.

NOTA:
Hoje, no Programa Segura Brasil, dois advogados responderão às questões relacionadas a planos de saúde, ANS, Serasa, entre outros.
Não perca!
Hoje, às 21h, ao vivo, através da www.tvgz.com.br

Circulandô

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Rolezinho no Centro

27.ago.2014

Basta um simples “rolezinho” pelas ruas, Barão de Itapetininga, Sete de Abril, pelas Praças Dom José Gaspar e República, entre outras, para encontrar com figuras conhecidas do mercado.

Ontem, terça-feira (26), reservamos o dia para circular por essas ruas do Centro-SP, após atender a um convite de Eliete Brito para uma reunião com a nova gerente da Public Broker e com um dos diretores da casa, Leandro.

A reunião resultou numa entrevista com Eliete Brito que será publicada em breve.

Também surpreendemos Edson Ferraz e Antônio Lopes, novos contratados da Viacorp, que já ocupam seus postos na nova filial instalada na Sete de Abril.

Visitando estas e outras Corretoras, ficou claro que o mercado está bem vivo e que as empresas estão investindo. Confiantes(!)

Parece que “os fantasmas do passado” estão dando lugar a um novo momento.

É isso?

Não sabemos o dia exatamente, mas a Unimed Paulistana, considerada por muitos, a Queridinha do mercado, está fazendo aniversário.

Com 43 anos de existência, em material amplamente divulgado, através de e-mail mkt, a UP declara-se orgulhosa por contar com a confiança de 700 mil beneficiários, três mil colaboradores e 2.300 médicos cooperados.

Definindo-se uma cooperativa em constante expansão, a mais paulistana das Unimeds revela ainda a satisfação de ser responsável pela saúde da maior cidade do País.

A auto-homenagem pode ser vista AQUI!

A propósito, a Unimed Paulistana, que também vem investindo pesado em seu PME, investe também em treinamentos.

Nesta próxima quinta-feira (28), mais um intensivão para corretores será ministrado em sua sede.

Av. Angélica, 2656 – auditório – 9º andar, às 09h.

O treinamento poderá ser agendado pelo telefone: 11 3113-3300 ou por e-mail clicando AQUI!

Termina hoje, o prazo para aderir ao REFIS

Autor: Blog do Corretor | Categoria: Sem categoria

25.ago.2014

Corretores de Seguros tem até segunda-feira (25/08/2014) para aderir ao REFIS da Receita Federal, e ter condições de aderir ao Supersimples.

Para que os Corretores de Seguros possam aderir ao Supersimples – uma grande conquista obtida pela categoria neste mês – as Corretoras de Seguros não podem ter dívidas com a Receita Federal, INSS ou com as Prefeituras respectivas.

A FENACOR e os SINCOR’s relembram que a Receita Federal está com prazo até a próxima segunda-feira (25/08/2014) para aceitar adesões ao REFIS.

Os interessados em parcelar as eventuais dívidas devem entrar em contato com seus contadores.

FENACOR – Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada e das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros.

Página 16 de 110« Primeira...10...1415161718...304050...Última »