fechar
Comentar
Publicado por Blog do Corretor

Resultados trimestrais e do semestre do Grupo Allianz

Resultados trimestrais e do semestre do Grupo Allianz


Grupo reporta resultados robustos para o segundo trimestre de 2018 e confirma previsão para o ano



-          Receitas internas crescem 6,5% no segundo trimestre de 2018



-          No segundo trimestre de 2018, lucro operacional subiu 2,3% e chegou a €3,0 bilhões de euros



-          No segundo trimestre de 2018, o lucro líquido atribuível aos acionistas caiu 5,2 % para €1,9 bilhão de euros devido ao impacto negativo anteriormente anunciado decorrente da venda do portfólio de Vida em Taiwan



-          Coeficiente de capitalização Solvency II aumentou para 230 %



-          O Grupo Allianz está em vias de realizar sua meta de lucro operacional para 2018 



Resumo Executivo: todos sos segmentos reportam forte crescimento das receitas internas



Após uma boa largada no início de 2018, o Grupo Allianz seguiu apresentando bom desempenho no segundo trimestre. Os indicadores se mantiveram próximos ou superaram os níveis do segundo trimestre de 2017, apesar das onerações impostas por instabilidades geopolíticas e flutuações cambiais. O crescimento das receitas internas, com os ajustes por efeitos cambiais e de consolidação, foi de 6,5% com todos os segmentos da empresa registrando forte crescimento. As receitas totais cresceram 2,9%, atingindo €30,9 (no segundo trimestre de 2017 foram €30,0) bilhões de euros. O Lucro operacional aumentou 2,3% e foi a €3,0 (€2,9) bilhões de euros. No segmento empresarial de Gestão de Ativos, o lucro operacional cresceu devido às receitas maiores, as quais foram impulsionadas pelos maiores volumes de ativos sob gestão (AuM), e às margens ampliadas. Isso mais do que compensou pelo declínio no lucro operacional do nosso ramo de Vida e Saúde. O lucro operacional no segmento Property & Casualty (todos os seguros, exceto Vida e Saúde) ficou estável. O lucro líquido atribuível aos acionistas diminuiu ligeiramente para €1,9 (€2,0) bilhão de euros -- o impacto negativo pela venda do nosso tradicional portfólio de seguro de vida em Taiwan foi apenas parcialmente neutralizado pela redução nos impostos sobre rendimentos.



Lucro Básico por Ação (EPS) aumentou 5% passando a €8,86 (contra €8,45) euros no primeiro semestre de 2018. O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RoE) anualizado aumentou para 13,8 % (contra 11,8% no ano inteiro de 2017). A Allianz manteve sua acentuada capitalização, com um coeficiente de capitalização Solvência II de 230% no final do trimestre, comparado aos 225% registrados no final do primeiro trimestre de 2018.



No primeiro semestre de 2018, o lucro operacional decresceu 1,8%, indo para €5,8 (€5,9) bilhões de euros, levado sobretudo pelo nosso ramo de Vida e Saúde, devido à normalização da margem de investimento e à taxa cambial desfavorável. O lucro operacional no negócio de Gestão de Ativos cresceu, graças às maiores receitas impulsionadas pelas receitas dos ativos sob gestão (AuM). O lucro operacional de Property & Casualty aumentou ligeiramente comparado aos resultados do ano anterior. No geral, o lucro operacional para os primeiros seis meses está ligeiramente acima da média esperada para o ano inteiro. A redução nos impostos sobre rendimentos contrabalançou o recuo no lucro operacional e no resultado não operacional: o lucro líquido atribuível aos acionistas ficou, portanto, estabilizado em €3,8 (€3,8) bilhões de euros.



No dia 2 de julho de 2018, o Grupo Allianz anunciou um novo programa de recompra de ações, com um volume de até €1,0 bilhão de euros. O programa será encerrado em 30 de setembro de 2018 e todas as ações recompradas serão canceladas.



“Nós continuamos rumo à realização da nossa meta de lucro operacional proposta para 2018. Sou muito grato a todos da equipe Allianz por possibilitarem que isso se realizasse em todos os países e em nossas empresas. Isso me deixa confiante de que iremos atingir as metas trienais do nosso Renewal Agenda”, declarou Oliver Bäte, CEO do Grupo Allianz.



Seguro P&C (Property-Casualty): acentuado crescimento interno e bom desempenho operacional



-          Os Prêmios brutos subscritos totalizaram €12,1 (€11,7) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 7,3 %, com os efeitos de preço e volume contribuindo com 2,2% e 5,1% respectivamente. Os principais motores desse crescimento foram AGCS, Allianz Partners e as operações na Alemanha.



-          O índice combinado se elevou a 94,1% (antes 93,7%) no segundo trimestre de 2018, refletindo um índice de sinistralidade mais elevado decorrente de grandes perdas e de eventos climáticos maiores também, parcialmente compensados por um coeficiente de despesa aumentado.



-          O Lucro operacional permaneceu estável em €1,455 (€1,446) bilhão de euros.



“Os bons resultados em Property & Casualty mostram a força subjacente da nossa empresa. Tivemos avanços na nossa iniciativa de produtividade, conforme demonstra o coeficiente de despesa. E continuamos a caminho para cumprir a nossa meta de 94% no índice combinado,” afirmou Giulio Terzariol, diretor Financeiro do Grupo Allianz.



No primeiro semestre de 2018, os prêmios brutos subscritos aumentaram ligeiramente para €30,0 (comparado a a €29,4) bilhões de euros. Com os ajustes por correção cambial e efeitos de consolidação, o crescimento interno totalizou 5,9 %, impulsionado sobretudo pelos desdobramentos positivos da AGCS, nas operações da Alemanha, e da Allianz Partners. O Lucro operacional aumentou ligeiramente em 0,9%, passando a €2,729 bilhões de euros, comparado ao mesmo período do ano anterior, devido ao melhor resultado na subscrição. O índice combinado para o primeiro semestre aumentou em 0,2 pontos percentuais e foi a 94,4 %.



Seguro Vida e Saúde: novo negócio ainda melhor



-          PVNBP, o valor atual dos prêmios dos novos negócios (PVNBP) aumentou para €14,0 (€13,6) bilhões de euros no segundo trimestre de 2018, principalmente por conta das vendas maiores de produtos eficientes em termos de capital no ramo alemão de seguro Vida.



-          A margem de novos negócios (NBM) se fortaleceu um pouco indo para 3,5% (3,4%) devido ao mix de negócios favorável e ao nível da taxa de juros um pouco mais alta. O valor de novos negócios (VNB) se elevou a €491 (€469) milhões de euros no trimestre movido pela continuação da mudança para produtos eficientes em termos de capital.



-          O Lucro operacional recuou 4,6% ficando em €1,075 (€1,128) bilhão de euros devido à menor margem de investimento na Espanha e no nosso ramo alemão de Vida. O reflexo negativo dos efeitos cambiais, sobretudo dos Estados Unidos devido ao enfraquecimento do dólar, também contribuiu para essa redução.



“Os resultados positivos da nossa mudança em andamento para um mix de produtos mais eficientes em termos de capital atestam a nossa capacidade em nos adaptarmos a um ambiente de taxas de juros altamente desafiadoras. Nossa margem de novos negócios de 3,5 % está bem à frente da meta prevista, e o valor dos novos negócios se elevou a €491 milhões de euros no trimestre, exibindo um bom crescimento trimestral de 5%”, disse Terzariol.



No primeiro semestre de 2018, o PVNBP subiu para €29,0 (€28,4) bilhões de euros, em grande medida devido às vendas maiores dos nossos produtos eficientes em termos de capital no nosso negócio alemão de Vida e dos nossos produtos de seguro de unidade variável (unit-linked) sem garantias em Taiwan. O lucro operacional teve redução para €2.144 (€2.282) bilhões de euros em decorrência das condições de mercado menos favoráveis e dos efeitos cambiais francamente adversos da transposição cambial nos EUA.



O NBM subiu para 3,4% (3,3%) por cento, elevando o VNB a €980 (€922) milhões de euros.



Gestão de Ativos: crescimento continuado em faturamento e no lucro operacional – Total dos recursos sob gestão atinge o maior nível já registrado



-          Recursos de terceiros sob gestão (AuM) cresceram em €35 bilhões de euros (2,5 %) alcançando €1,464 trilhão de euros, comparado ao final do primeiro trimestre de 2018. Esse aumento se deveu a efeitos positivos da transposição cambial. As saídas líquidas de recursos de terceiros totalizaram €9,2 bilhões de euros. O total de AuM registrou um recorde de €1,993 trilhão de euros.



-          A relação custo-rendimento (CIR) melhorou 0,9 ponto percentual e foi para 61,6 % no segundo trimestre de 2018, visto que o aumento nos rendimentos superou o aumento nas despesas.



-          O Lucro operacional aumentou 11,6% e bateu em €652 (€584) milhões de euros no segundo trimestre de 2018. Isso se deveu a um aumento no rendimento operacional, decorrente tanto da média mais elevada de AuM como de uma margem ampliada. Após o ajuste pelos efeitos da transposição cambial, o lucro operacional teve alta de 18,8 %.



“A combinação de maior volume de ativos sob gestão, margens mais altas e um coeficiente de custo-rendimento mais baixo leva a um crescimento de dois dígitos no lucro.  Ao passo que tivemos saídas líquidas no trimestre, registramos entradas líquidas para os meses de junho e julho. Estamos muito satisfeitos com a performance da nossa Gestão de Ativos ,” disse Giulio Terzariol.



No primeiro semestre de 2018, as receitas operacionais cresceram 4,6% alcançando €3,3 bilhões de euros, principalmente devido a uma média maior de AuM de terceiros na PIMCO e a um crescimento nas margens impulsionado por AuM, tanto na PIMCO como na AllianzGI. Como as despesas operacionais subiram apenas 2,7 %, o CIR recuou 1,2 ponto percentual e caiu para 61,7 %. O lucro operacional subiu 7,9 % e bateu na casa dos €1,247 (€1,156) trilhão de euros. Adicionalmente, os efeitos cambiais favoráveis e as entradas de terceiros superaram os efeitos de mercado negativos, resultando em AuM de terceiros da ordem de €1,464 trilhão de euros – um aumento de €17 bilhões de euros comparado ao final do ano de 2017.



Para conferir os principais números do 2º trimestre e primeiro semestre de 2018, clique aqui.


Leia também

1 comentários
Comentar
alfredo itiring

EXCELENTE REPORTAGEM , UMA DAS MELHORES DO BLOG DO CORRETOR , SE NÃO FOR A MELHOR . DADOS EXTREMAMENTE IMPORTANTES PARA O MERCADO DE SEGUROS . BASTANTE ANIMADOR . CRIA ENTUSIAMO A TODOS . PARABENS.

Carregar mais

Deixe seu comentário Você pode optar por ficar anônimo, usar um apelido ou se identificar. Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, caluniosa, bem como conteúdo meramente comercial. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.