fechar
Comentar
Publicado por Emmanuel Ramos de Castro

Os ventos mudam de direção



.

Por: Claudia Diás .



Ninguém me falou que os ventos mudariam a direção....

Quem sonhou em ser vendedor de planos de saúde ?

Como você entrou neste mercado?Você planejou isto para você? Esta é sua profissão? Você gosta de sua atuação profissional ? Esta satisfeito com o desempenho que tem nesta profissão?

Você respondeu algum não para algumas das questões acima?

Provavelmente sim.



Você sabe por que respondeu não?

Provavelmente, NÃO.



Pois bem, é quase certo que você tenha respondido alguns ?nãos? para as perguntas acima. Pois é isso que tenho encontrado pelas minhas andanças, atuando com treinamento e desenvolvimento pelo mercado de planos de saúde, porém não se preocupe, você não é o único; eu posso lhe assegurar.



O fato é que isso está acontecendo porque a atividade profissional que você desempenha neste momento pode não ter sido tão pensada e planejada quando você a começou, não é mesmo?



Quando iniciou esta atividade, os tempos eram outros, as vendas aconteciam, ninguém se preocupava em qualificação ou profissionalização, a ordem era "Venda Muitos Planos de Saúde para muitos clientes".



Mas os tempos são outros, e neste momento em que as coisas não são tão certas e que incertezas tomam conta do mercado, sugiro uma pausa para reflexão: Você sabe em que momento de sua carreira está agora? Você sabe aonde quer chegar? Você tem planos para seu futuro profissional ou vive em um mar de incertezas?



Posso apostar que quando você começou nesta profissão, a evolução foi acontecendo naturalmente. As decisões foram sendo tomadas baseadas mais na intuição, nas tendências, nos modelos padronizados, sem levar em conta que cada ser é único e portanto possui características extremamente particulares.



Esta postura pode ter funcionado até certo ponto, porém no momento em que os ventos mudaram de direção, vejo que muitos profissionais ficaram no mercado sem saber direito qual rumo tomar nas suas vidas profissionais.



O cenário atual revela que a carreira de forma geral tem enfrentado diversas mudanças em torno de suas concepções ,em decorrência dos acontecimentos econômicos, políticos e sociais.Tais mudanças estão pautadas em avanço tecnológico, globalização, agilidade no processo de comunicação, terceirização, sobreposição de funções, aumento da expectativa de vida, achatamento no mercado de planos de saúde, dentre outros.



Esses fatores têm contribuído significativamente para a mudança no desenvolvimento profissional e pessoal do ser humano.



A evolução no conceito de carreira, quanto ao papel da organização, antes paternalista, em que a mesma assumia a responsabilidade de gerenciar a carreira de seus empregados, passou a ser linear, de forma que os profissionais passaram a assumir a responsabilidade pelo seu futuro profissional.



Porém, caros colegas, o mundo não acabou.



.




.Creio que para as pessoas de boa vontade temos ainda uma grande luz no fim do túnel. Ficar choramingando e reclamando e afirmando que "as coisas não estão indo bem"; que "as vendas estão ruins"; não nos levará a lugar nenhum. Sugiro que parem um pouco e reflitam:



O que pode ser feito hoje que só depende de você para que este cenário mude?



A minha humilde opinião sobre a questão é que se deve colocar a mão na massa, avaliar o cenário e fazer um planejamento de carreira para o novo momento. Ficar esperando que o mercado responda às suas expectativas, só irá fazer com que perca muito tempo até que alguém defina de fato o que é melhor para você.



Lembre-se de que todos estão passando por problemas e que estes são diferentes pela grandeza e complexidade de cada um, assim como os donos de corretora estão buscando formas para evitar o profissional (vendedor de planos de saúde), não pode ficar de fora disso. Ele deve assumir sua posição diante do mercado e traçar um planejamento de carreira que permita o alinhamento e a concretização dos objetivos pessoais e profissionais, extremamente importantes para que se transforme em um profissional de sucesso.



Assumir o controle de sua vida profissional é um ato de responsabilidade e amadurecimento. Enquanto a maioria das pessoas deixa a carreira ao acaso, outras tomam para si a responsabilidade sobre ela, gerenciando e ampliando seu sucesso profissional.



Para que uma pessoa alcance o sucesso em sua atividade profissional, alguns fatores são extremamente importantes. Vale a pena conferir abaixo quais são estes fatores e refletir o quanto você está alinhado com cada um deles. Caso não esteja, sugiro que busque um forma de orientação profissional para que possa assumir o seu futuro de forma equilibrada e voltar a ter o controle da situação.



Situe-se:



Em que momento está o mercado em que eu atuo? O que eu posso fazer hoje para traçar um objetivo realista capaz de ser atingido? Qual deve ser minha postura diante deste cenário? Quais são os resultados possíveis para que eu atinja os atinja com o meu trabalho? O que eu devo fazer diferente para continuar atuando neste segmento? Quais são as minhas opções? O que eu preciso mudar?



Lembre-se de que precisamos ser realistas. Não adianta  acreditar em coisas que só estão nas nossas cabeças. Somente com um claro diagnóstico, você conseguirá fazer uma avaliação lógica de onde você está, onde quer chegar e o que precisa para tanto. Posicione-se:



Quando você encontrar as respostas acima, não desanime se elas não forem tão promissoras como você gostaria. Na verdade, quando se tem um diagnóstico claro é a hora de saber qual o tratamento mais indicado. Na verdade, agora que sabe o tamanho do desafio, ficará mais fácil para você se posicionar. Defina como quer atuar, qual o nicho de mercado que irá defender .Você precisa ter um posicionamento claro e objetivo; algo que o faça cair na real e fazer com que coloque seu foco e atenção aonde quer chegar.



Elabore um plano de ação:



Se para ser bem sucedido(a) é necessário atingir os objetivos que você estabeleceu, então é necessário desenhar o caminho que o conduzirá a esse sucesso, certo? Agora que já se posicionou, precisa desenhar um plano de ação que seja eficaz, que tenha metas claras e definidas... é como um roteiro para chegar no seu destino final. Por exemplo, imagine que você chegou à conclusão que a partir de agora o foco seja atuar com PME; então, você deverá fazer um plano para conquistar potenciais clientes do produto PME, entendido?



Pergunte-se: Quais são meus objetivos neste mercado? Que ou quais ações que eu preciso realizar para atingir meus objetivos?



O que eu preciso aprender para a minha nova atuação? O que eu preciso fazer de diferente? Lembre-se, se continuar a fazer as mesmas coisas, provavelmente terá os mesmos resultados. Otimize: Segmente as ações. Estabeleça etapas ou metas que você deve alcançar para atingir seus objetivos.



Organize-se: Como e quando você irá realizar as ações identificas? Lembre-se de que elas devam ser prioritárias em sua agenda.



Motive-se: Faça uma lista do que você irá ganhar se atingir seus objetivos e o que perderá se não atingi-los.



Comprometa-se: Nenhuma realização importante é alcançada sem comprometimento. Seu empenho e sua persistência são as evidências de que você está disposto a transformar seus sonhos em objetivos e seus objetivos em realidade.



Crie oportunidades:



Tem gente que acredita que os outros chegaram ao sucesso por terem sorte ou serem predestinados. Será? O que muitos chamam de sorte ou de predestinação, as pessoas bem sucedidas, preferem chamar de "criar oportunidades". No dicionário a definição para a palavra oportunidade é: "possibilidade de melhorar, ocasião ou condição favorável, visão de futuro, algo novo que traga benefícios".



Para que você crie as oportunidades que o impulsionarão para o sucesso é importante antes de mais nada que você responda: Qual o meu diferencial?



Como eu me destaco entre os meus concorrentes?



Quais são os meus pontos fortes? Eu os utilizo ao máximo ou estão sendo subutilizados por mim?



Que valor eu agrego como profissional?



De que outras maneiras eu posso vender meus produtos ou serviços?



O que mais eu posso oferecer?



A quem mais você pode oferecer?



Mensurando os resultados, ponha a mão na massa.



Ou seja, agora que já tem um plano, coloque-o em prática o quanto antes. Uma pessoa é bem sucedida quando obtém bons resultados. E é extremamente bem sucedida quando obtém resultados acima do esperado. Como saber em que patamar você se situa? Por isso é importante que você meça seus resultados. Porém, para que você possa medir seus resultados , é importante definir o resultado esperado e as evidencias de esses resultados estão sendo alcançados. Defina quais serão as evidências de que você os alcançou.



Depois disso, faça avaliações periódicas para monitorar seu progresso, boa sorte e lembre-se de que: "O passo mais importante do ser humano é a certeza de não estar parado"



Até a próxima semana.




Claudia Diás - é Corretora de Seguros, Personal Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, Business & Executive Coaching e Professional e Self Coach e Analista Comportamental, pelo IBC - Instituto Brasileiro de Coaching. Certificada nacionalmente pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo IBC - Instituto Brasileiro de Coaching, escritora e coautora dos livros Consultoria Empresarial (Editora Ser Mais) e idealizadora do Programa PEC ? Programa de Educação Comportamental, com foco em profissionais do mercado de planos de saúde e seguros e volta a escrever às terças-feiras no Blog do Corretor.


Leia também

7 comentários
Comentar
Anônimo

É uma vergonha o que a Amil /UnitedHealth esta fazendo, esse é o modelo americano de saúde?

João Franco

Boa tarde!
Blog, porque você não deu a mesma visibilidade para a matéria com a corretora DJ, como à que foi dada à VPLAN, todas tem a mesma importância no mercado, pergunto porque este canal prima pela imparcialidade ou não é isso?
Valeria uma material mais completa com a corretora do senhor Dirceu, ou você não acha?
Apesar de não participar muito mais estou sempre acompanhando este ótimo canal de informações.
Conto com o seu bom senso, e um grande abraço

João Franco

.
RESPOSTA
A DJ já foi e será sempre objeto de matérias neste Blog.
Mas, você tem razão.
Falta uma conversa mais ao pé do ouvido, com a DJ.
Obrigado pelas suas palavras.
Que nos fortalece.
Moderador

Crô

Amei a volta da Claudia, adoro seus textos. Esse então...
Apesar do seu rico conteúdo esperava q ficasse mais resumido. Fio ler somente nesse feriado porque no dia a dia num dá tempo. Mas se ficar mais compactado eu acho que vai ficar muito melhor. Obrigado por um texto que me fez refletir.Bjka

Resp: Dr. Lutfalla

A explicação lógica para isto é que o corretor coloca por exemplo um advogado nos "simpi's da vida" , dai a necessidade de impedir esta prática e o corretor comece a vender o adesão para as categorias profissionais nos projetos correto. As entidades brigam com a ANS por este fato. Acho justo e a ANS também deve estar achando.

DRA LUTFALLA

Como pode a ANS fechar os olhos para esta situação fazer discriminação para aquele que não tem nível superior e ter acima de 24 meses e ainda ter que entrar com todas as Carências!!!!!!!!!! isso significa que as operadoras não tem medo da ANS e tudo acaba em pizza né kkkkkk
As grandes corretoras não se quer ter o trabalho de brigar pelo consumidor e como fica o consultor diante do cliente??
Prezado Blog só vc para nos ajudar a divulgar toda esta situação realmente a sua ferramenta é muito importante para quem realmente conhece o que está acontecendo.
Sei que tbém vamos ter novidade em Janeiro com relação as vendas acima de 59 anos.
.
Um Grande Abraço!
Dra Lutfalla

Dr.Kissy Dany

Boa noite.

Excelente matéria, mas a propaganda da Unifocus mudou completamente o rumo do vento, deixando até um ar de discordância na grande luz existente no final do túnel.

Só por Deus

Mais uma da dona amil, agora além de não venderem mais planos de saúde pessoa física eles só querem aproveitar carências de quem é formado. Tem que ter faculdade.
Será que a Ans não vê isso ?
Adesão está rimando com discriminação .

Carregar mais

Deixe seu comentário Você pode optar por ficar anônimo, usar um apelido ou se identificar. Participe! Seus comentários poderão ser importantes para outros participantes interessados no mesmo tema. Todos os comentários serão bem-vindos, mas reservamo-nos o direito de excluir eventuais mensagens com linguagem inadequada ou ofensiva, caluniosa, bem como conteúdo meramente comercial. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.